Ujjayi pranayama / Bandhas / Drishtis

Ujjayi pranayama

 

A respiração utilizada na prática do Ashtanga Yoga é o Ujjayi pranayama, que é o ponto principal do método e vai guiar toda a sequência de posturas e movimentos. Essa respiração deve ser feita pelas narinas, com uma leve contração na glote, produzindo um som suave e contínuo na garganta. Dessa forma, a temperatura do corpo aumenta, provocando suor e auxiliando na limpeza das toxinas. Ao realizá-la, deve-se equilibrar a inspiração com a expiração, concentrando-se no seu ritmo, som e tempo de duração. Écomum, no início, ocorrer um exagero na expiração, tornando a práica um pouco forçada. O ideal é tentar controlar, suavizar e prolongar esse movimento, sem segurar a respiração.

Bandhas

Os bandhas são como fechos, contrações que direcionam a energia vital e não permitem que ela escape, conduzindo a respiração dentro do corpo e mantendo-o aquecido. O mula bandha e o uddiyana bandha são as duas válvulas mais importantes no Ashtanga Yoga. Eles protegem o corpo, dão base, estrtura e leveza nas posturas e movimentos. Além disso, quando direcionamos a atenção para esses movimentos internos em sincornia com a respiração,  damos à prática um foco interno, tornando-a uma meditação em movimento.

A ênfase do mula bandha é na expiração, e do uddiyana bandha é na inspiração, mas ambos permanecem com alguma atividade durante toda a prática. Iniciar essa ativação pode ser difícil no começo e às vezes esquecemos deles. Com o tempo, passamos a lembrar e incorporar essas ativações, até que se torne uma constante companhia na prática.

 

O mula bandha é acionado através da ativação do assoalho pélvico, contraíndo os músculos ao redor do períneo, o diafragma urogenital. Esta contração alinha a pélvis com a coluna vertebral, e impede o relaxamento total da parte inferio do corpo durante os asanas. O mula bandha deve estar contraído durante toda a prática, principalmente nas expirações. Este bandha realiza uma força interna contra a gravidade, mantendo os órgãos do baixo ventre suspensos.

 

O uddiyana bandha é uma contração da musculatura da parede abdominal inferior. Este bandha suporta nossos órgãos internos e ajuda a expandir a caixa torácica, aprofundando a respiração e incentivando o desenvolvimento da musculatura abdominal e costal. Esta contração deve ser enfatizada na inspiração para ajudar a expandir o tórax e levar o prana para cima.

 

O jalandhara bandha é a "trava" da garganta, e é realizado abaixando-se o queixo ligeiramente em direção ao peito, enquanto se ergue o esterno e o palato. Esta contração é realizada somente em algumas posturas.

 

Com a combinação dos bandhas e a respiração, criamos firmeza e estabilidade no no torso, comprimento na coluna e espaço para os movimentos.

 

Drishtis

 

Drishti é o direcionamento do olhar para pontos específicos, realizado durante a prática de posturas. Esta técnica serve para levarmos a atenção e os sentidos para dentro, acalmando a mente e aprimorando a concentração.