Ashtanga, os oito passos de Patanjali

Ashtanga Vinyasa é um sistema de yoga que tem a sua origem no antigo texto Yoga Korunta, compilado pelo sábio Vamana Rishi, e que Krishnamacharya recebeu de seu Guru Rama Mohan Brahmachari no Monte Kailash. Este manuscrito mais tarde passou à Sri K. Pattabhi Jois. Krishnamacharya teve influência considerável em relação a muitas das formas modernas de yoga ensinadas hoje. Muitos professores atuais, como BKS Iyengar e Indra Devi, juntamente com o Sri K. Pattabhi Jois, foram seus alunos. Krishnamacharya era bem conhecido por adequar seus ensinamentos às características específicas da pessoa ou grupo que ele estava ensinando na época. 

Este sistema ajuda a acalmar o fluxo de pensamentos na mente do praticante, reduzindo o estresse e  aumentando a capacidade de se manter presente e consciente na vida.

"Ashta" que quer dizer oito, e "anga", que remete a membros ou passos, é o sistema que sintetiza a prática do Yoga.

Os oito passos indicados pela palavra Ashtanga nos yoga sutras, referem-se, especificamente, ao caminho delineado pelo sábio Patanjali há quase dois milênios, para se atingir a iluminação. Trata-se de um texto composto de 196 aforismos, onde estão descritos aspectos muito importante da filosofia do Yoga. Eles sintetizam a visão, a prática e o resultado do Yoga, assim como as experiências e obstáculos que podem ser encontrados ao longo do caminho.

São eles:

 

Yama - Regras ou códigos de conduta para viver em um estado de consciência virtuoso. Os yamas definem como devemos orientar as nossas relações com o mundo externo.

Nyama - Orientações e observâncias para nossas relações com o mundo interior.

 

Asana - Postura. Patanjali, no Yoga Sutra, descreve asana como uma posição que deve ser ao mesmo tempo firme e confortável

 

Pranayama - Controle da respiração

Pratyahara - Controle e abstração dos sentidos

Dharana - Concentação

Dhyana - Meditação

Samadhi - Contemplação. O estado final da meditação, em que o mediador se dissolve totalmente dentro da experiência, num estado de Pura Consciência. Segundo Vyasa, "Yoga é Samadhi": controle completo das funções da consciência, que resulta em vários graus de aquisição interna da verdade (samapatti).

O Samadhi é o terceiro dos três "tesouros do Yoga", ou seja, o fruto colhido pela prática dos demais passos do Ashtanga. Pela observância de yama e nyama, pela prática de asanas, pranayamas,  pratyahara e dharana (concentração estável), se chega à dhyana (meditação), e se pode atingir samadhi.

 

patanjali_zz491.jpg